Este espaço destina-se à divulgação de Noticias, Ideias e Pensamentos e ao debate de temas relacionados com o Mar, a Politica, a Cidadania, o Turismo, a Sociedade e a Cultura em geral. FOI ADICIONADO UM CONTADOR A PARTIR DE NOVEMBRO DE 2010
Domingo, 15 de Fevereiro de 2015
Hoje a Grécia

bandeira-da-grecia-com-as-cores-azul-e-branco-1343Hoje a Grécia

Calístenes derrubou em 507 a. C. a tirania de Peisistrato que governava desde 560 a. C. e introduziu as reformas revolucionarias que iriam transformar Atenas numa potencia e na primeira verdadeira Democracia Grega. *

Democracia vem de Demokratia – palavra grega composta por “demos”, que quer dizer povo, e “kratia”, originária de “kratos”, que significa poder. Democracia significa “governo do povo”*

Hoje os povos não têm o poder na Europa, hoje os povos não governam na Europa!

2015 Anos d. C. (depois de Cristo), a Grécia berço da Democracia é uma Pátria que luta contra a perda da sua independência económica, contra a imposição de leis que não ditou nem sufragou, contra a perda de direitos democráticos do seu povo, contra a perda da liberdade de decidir o seu destino, contra a humilhação imposta por aqueles que afirmando-se europeus e democratas usam e abusam da palavra democracia como se dela fossem donos, em tudo querem mandar e tudo querem impor.

Esses mesmos que um dia pretenderam ser os donos da Europa e do Mundo os ideólogos e os executores não da democracia mas do fascismo e do nazismo, os impositores das ditaduras que durante anos dominaram e oprimiram os povos da Europa.

Hoje são esses mesmos mascarados de democratas que de forma meramente retorica tantas e tantas vezes usam a palavra democracia como se dela fossem os seus proprietários.

Hoje são esses mesmos que de forma mais ou menos estudada, mais ou menos ensaiada, dominam os povos e instrumentalizam sociedades.

Hoje a Europa da democracia, da liberdade, da igualdade, da solidariedade, a Europa que alguns dominantes e dominados, um dia apelidaram da Europa dos povos, é a Europa subjugada pelo grande capital sem alicerces, sem rosto e pelos senhores dos mercados, mais ou menos virtuais que impõem um domínio económico e social dos mais fortes sobre os mais fracos.

Hoje esta Europa que gera ricos, produzindo muitos pobres por cada rico que gera, é um feudo neoliberal com Estados ocupados pela Alemanha não militarmente mas economicamente.

Hoje os Estados do sul da Europa, Grécia, Portugal, Espanha, são Estados empobrecidos que viram as suas indústrias serem sugadas pela Alemanha em grande parte por imposições da União Europeia, estados a quem foram impostas medidas de austeridade monstruosas, registam hoje economias completamente destruídas e níveis de desemprego incomensuráveis.

Parafraseando Abraham Lincoln “Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo.”

A crise que afectou os Estados do sul, particularmente a Grécia e Portugal, resulta da dominação a que estes países se encontram submetidos, á integração numa União Económica e Monetária que não sufragaram, sujeitos às regras ditadas pelos poderes dominantes da União Europeia que condenaram os países economicamente mais frágeis à estagnação, ao subdesenvolvimento e à pobreza, sujeitos a humilhações e á submissão, imposta pelos países mais poderosos da zona euro.

Hoje a Grécia é a mensageira da esperança para os povos na Europa.

No dia 25 de janeiro de 2015 o povo grego foi chamado a votar e elegeu um partido de esquerda fora da oligarquia partidária dominante, ou seja elegeu um partido que declarou a sua intenção de travar um combate contra o domínio dos mercados e as imposições da União Europeia dominada pelo eixo franco-alemão.

São ventos de mudança, ventos que têm soprado na Europa mas que na Grécia sopraram como um vendaval.

Não tenho ilusões nem embarco em triunfalismos, sei que uma evolução política favorável ao povo na Grécia depende da correspondência às expectativas de mudança que expressaram nas urnas, dando a vitória ao Syriza.

Registo com satisfação o progresso eleitoral do KKE, (Partido Comunista da Grécia), contributo essencial para a continuação da luta pela defesa dos interesses do povo grego e o único que o pode conduzir á revolução.

O KKE é um partido detentor de teoria revolucionaria e como afirmava Lenine, “Sem teoria revolucionária, não há movimento revolucionário”.

Os gregos acordaram! Desejo que assim seja, gostaria que esta fosse a “faísca que incendiasse toda a pradaria”.

A Grécia hoje é uma voz dissonante no seio do capitalismo dominante, no seio de uma União Europeia que nunca foi solidaria mas é garantidamente usurária dos mais fracos.

Decorrem as negociações sobem as espectativas.

Em Portugal presidente da Republica e primeiro-ministro, os vendilhões da Pátria, desdobram-se em críticas bacocas ao governo grego, envergonhando o povo e o país e lá vão cantando e rindo beijar a mão á todo-poderosa chanceler alemã Angela Merkel.

Que os povos do sul da Europa assimilam a tenacidade, a força, a resistência, do povo grego a ele se juntem para mudar a Europa, para fazer da Europa uma Europa que respeite a soberania dos povos.

Só uma ruptura com as políticas, normas, orientações e imposições que têm pautado o processo de integração capitalista europeu pode libertar os Estados do sul principalmente Grécia, Portugal e Espanha permitindo-lhes recuperar a sua soberania económica.

A vitória é difícil mas acreditando a luta dos povos triunfará!

Antonio de Lemos

 

Fonte: * Grande Enciclopédia da Historia – editora Civilização

Foto/Imagem: Papel de Parede Bandeira da Grécia www.papeldeparedemais.com.



publicado por António Lemos às 20:22
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

VISITA A ESCAROUPIM, UMA ...

PSP de Cascais interrompe...

A Margarida Partiu, a dor...

VIVA FIDEL!

Thermopylae. História do ...

Diana Johnstone, Hillary ...

“A Linha de Cascais Está ...

Faina Maior – A pesca do ...

A DÚVIDA! Madre Teresa de...

Charlie Chaplin, “O Melho...

E OS ASSASSINOS GRITAM EU...

Defender a Escola Pública

Telescópio Hale

HÁ ANIMAIS A SEREM MAL TR...

40 Anos da Constituição d...

EU VOTO EDGAR SILVA!

O ALMIRANTE PORTUGUÊS – R...

Noam Chomsky: “A pior cam...

Caiu o Governo de direita...

Luta pela Paz, questão ce...

arquivos

Maio 2017

Março 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

favoritos

“A FESTA DO AVANTE”, MIGU...

links
Contador
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds