Este espaço destina-se à divulgação de Noticias, Ideias e Pensamentos e ao debate de temas relacionados com o Mar, a Politica, a Cidadania, o Turismo, a Sociedade e a Cultura em geral. FOI ADICIONADO UM CONTADOR A PARTIR DE NOVEMBRO DE 2010
Sábado, 4 de Março de 2017
A Margarida Partiu, a dor é Incomensurável

IMG_1512.JPG

 A última foto da Margarida em Fevereiro de 2017

 

A Margarida Partiu, a dor é Incomensurável

A Margarida como eu a tratava quando conversava com ela, a Maggie como todos a tratávamos, uma menina linda que retiramos da rua há cerca de três anos.

Conheci a Margarida na rua onde tratamos a nossa colonia, todos os dias quando ia repor ração, água e ver os meus meninos e meninas, passava por uma menina, normalmente deitada junto a um menino preto (hoje é o nosso Camões), que não se aproximava da colonia. Aos poucos começamos a oferecer-lhe uma latinha de comida húmida, primeiro a medo lá ia comendo, depois aos poucos começou a permitir mais aproximação, um dia apareceu junto ao abrigo onde colocamos a ração, a partir dai a empatia foi crescendo não só para comigo como também para com a Cristina e a Joana.

A Margarida parecia uma menina frágil, coxeava de uma das pernas traseiras, o que lhe dava um andar engraçado, pois abanava a cauda que normalmente trazia sempre levantada, mais parecendo uma antena, mas de frágil não tinha nada, quando chegava junto dos outros gatinhos era respeitada, poucos se atreviam a chegar muito perto.

Decisão tomada, a Margarida ia fazer parte da família. Não me recordo da data em que aconteceu talvez a Joana ou a Cristina saibam com precisão.

Recolhida com recurso a uma transportadora, passagem breve pelo veterinário, a Margarida chegou á nossa casa que passou a ser a casa dela e conheceu as novas irmãs a Kitty e a Satine, o Camões e o Blakie, chegariam mais tarde.

A adaptação da Margarida foi fácil, alguns medos iniciais, mas passados alguns dias já permitia festinhas já fazia ronrons dava beijinhos e gostava de morder com meiguice os nossos dedos.

Depressa se revelou um doce, um amor de menina, a todos dava encostinhos e marradinhas, de todos queria festinhas, dedicando uns miminhos especiais á Joana ou seja á mana “velha”, a Margaria acrescentou alegria e felicidade á família que agora também era a dela.

A Margarida tinha, (e tem), a sua caminha noturna, entre a minha almofada e a almofada da Cristina, dormia muitas vezes junto às nossas cabeças mesmo quando a mana “velha” estava em casa normalmente pelas 4 da manhã a Margarida lá passava por cima de mim ou encostada á minha cabeça, para se aninhar entre as nossas almofadas.

A Margarida foi sempre uma menina muito especial, fazia umas caras engraçadas, por vezes olhava para nós com uma expressão pateta, mas de pateta a Margarida não tinha nada, sistematizava tudo o que mais gostava, a hora da papinha mole, os ronrons matinais na casa de banho ou os ronrons da nossa chegada a casa, os pedidos de colinho quando nos sentávamos no sofá da sala, a sua caminha junto á lareira, de onde obrigava qualquer um a sair quando chegava.

A Margarida nunca foi uma menina com problemas graves de saúde, teve algumas vezes de ir ao veterinário, foi tratada a problemas oftalmológicos no hospital, mas na maioria das vezes os médicos atribuíam os problemas de saúde á idade, uma vez que não havendo certezas, a idade atribuída á margarida pelos veterinários seria entre os 10 e os 12 anos.

No dia 26 de Fevereiro de 2017 saímos para trabalhar pelas 7 horas da manhã, a Margarida, cumpriu todas as rotinas matinais, comeu a papinha mole da manhã, comeu alguma comida rija que está sempre disponível e dirigiu-se para o nosso quarto, não nos lembramos se ficou na casa de banho ou se ficou na nossa cama, dissemos até logo e saímos.

A Cristina regressou a casa pelas 12h, quando entrou deparou com a Margarida em convulsões no hall dos quartos, em pânico telefonou-me cheguei em 15 minutos transportamos a Margarida para as urgências do Hospital da Faculdade de Medicina Veterinária em Monsanto.

A Margarida foi assistida de imediato, depois de paradas as convoluções, disseram-nos que a Margarida teria de ficar internada, assim que acordasse seria avaliada, assim foi, declaramos que tudo, mas mesmo tudo teria de ser feito para salvar a Margarida.

A equipa médica manteve-se sempre em contacto connosco, no primeiro contacto percebemos a gravidade da situação, todos os exames possíveis tinham sido efectuados, a situação  clinica da Margarida era muito grave.

No dia 28 visitamos a margarida pelas 14h nos cuidados intensivos, a Margarida tinha acordado do coma induzido, mas não respondia como era esperado, o coração da Margarida batia, a Margarida respirava e pouco mais.

Durante a visita falei ao ouvido da Margarida, disse-lhe que a amava, que ela tinha de viver, dei-lhe muitos beijinhos, não sei se ouviu ou se sentiu, se sentiu ou ouviu ficou a saber que o pai estava ali que não estava sozinha. Constatar este estado em que a Margarida se encontrava, foi devastador, foi a maior dor da minha vida.

Pedi á médica que naquele momento estava encarregue de vigiar a Margarida, para tudo fazerem, garantiu que tudo seria feito, explicando todos os procedimentos que se iriam seguir.

Tanto eu como a Joana saímos do hospital devastados, a esperança estava a morrer.

Às 20h o telefone tocou, a chamada que não queríamos atender aconteceu, a medicina nada mais podia fazer pela Margarida, a menina estava em sofrimento e nada mais havia a fazer, o conselho dos médicos era que devíamos deixar a Margarida partir.

Às 21 h estávamos no hospital para nos despedirmos do meu amor, da minha menina, a dor é Incomensurável, a Margarida partiu, não partiu sozinha estivemos com ela até ao ultimo suspiro, a Margarida vai viver eternamente nos nossos corações.

No dia 2 de Março, de 2017, a Margarida foi cremada na ASFA em Cascais, às 16.30h a nossa menina já tinha regressado a casa.

Se existe um céu dos gatinhos é para lá que eu quero ir quando partir, assim poderei pegar de novo ao colo a minha Margarida dar-lhe muitos beijinhos e sei que ela vai retribuir com muitos ronrons.

A minha Margarida, a nossa Meggie vive em nós.

Antonio de Lemos



publicado por António Lemos às 23:02
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

VISITA A ESCAROUPIM, UMA ...

PSP de Cascais interrompe...

A Margarida Partiu, a dor...

VIVA FIDEL!

Thermopylae. História do ...

Diana Johnstone, Hillary ...

“A Linha de Cascais Está ...

Faina Maior – A pesca do ...

A DÚVIDA! Madre Teresa de...

Charlie Chaplin, “O Melho...

E OS ASSASSINOS GRITAM EU...

Defender a Escola Pública

Telescópio Hale

HÁ ANIMAIS A SEREM MAL TR...

40 Anos da Constituição d...

EU VOTO EDGAR SILVA!

O ALMIRANTE PORTUGUÊS – R...

Noam Chomsky: “A pior cam...

Caiu o Governo de direita...

Luta pela Paz, questão ce...

arquivos

Maio 2017

Março 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Janeiro 2016

Novembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

favoritos

“A FESTA DO AVANTE”, MIGU...

links
Contador
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds